Conteúdo

Produtos

A História da Annetta

Postado: 04, , Junho 2021

Para identificar a idiossincrasia de uma empresa, ou seja, as características que definem seu comportamento, devemos conhecer sua história, sua razão de existir e seus objetivos.

Uma empresa familiar não tem que recorrer a livros de história para motivar seus membros e as gerações futuras. Basta com recordar sua própria historia ou a de seus fundadores.

Quase sempre a historia do fundador-empreendedor esta carregada de um forte simbolismo que constitui os valores e a cultura da empresa, podendo transmitir uma identidade aos outros membros.

Conhecendo e observando essas lembranças do passado podemos manter a visão e reforçar o compromisso com o projeto familiar, no qual a participação ativa dos proprietários da empresa ajuda a garantir o bom rendimento da mesma.

A história da Annetta está diretamente ligada ao pioneirismo de um homem que ultrapassou as fronteiras físicas de sua terra natal para trazer para o Brasil a mais alta tecnologia em tintas e revestimentos.

Miguel Eugênio Annetta nasceu em 1935 na cidade de Buenos Aires, Argentina, no mesmo ano em que morria a maior figura popular do pais: o músico Carlos Gardel. Seus anos de infância e adolescência transcorreram no tradicional bairro de Flores, entre brincadeiras na rua e os estudos na escola, enquanto às noticias da segunda guerra chegavam tardiamente através dos jornais ou o radio. Aficionado aos esportes praticava natação e futebol e assistia aos jogos do seu time de coração: Boca Juniors.

Desde muito jovem se revelou seu interesse pela ciência, especialmente a química. Assim, com o esforço do seu pai, Gabriel Annetta, de profissão alfaiate, frequentou a Escola Industrial da Nação, Otto Krause, completando o curso de Química Industrial. A continuação começou a cursar a carreira de Engenharia Química na Faculdade de Engenharia da Universidade de Buenos Aires. Já se destacava por sua criatividade, iniciativa e espirito de liderança.

Começou a trabalhar desde muito cedo, conseguindo uma oportunidade na empresa de tintas Alba, onde se destacou rapidamente no laboratório, tendo uma rápida evolução. Assim, enviado pela firma, do mesmo grupo da Coral brasileira, o Sr. Miguel veio pela primeira vez ao Brasil em 1960 com a tarefa de introduzir no mercado nacional os primeiros PVA para a construção civil.

Convivendo com o mercado brasileiro surgiram desafios, principalmente ambientais, que enfrentou com coragem e visão de futuro. Começa assim sua relação com a pesquisa e a busca de novas tecnologias, agora a nível profissional, para solucionar os problemas do dia a dia. No Brasil naquele momento se utilizavam tintas, massas, seladoras e fixadores ao óleo e tintas látex formuladas com caseína. Foram lançadas a tintas Coralar, Coralatex e Coralmur e posteriormente as massas, seladores e fixadores a base de água.      

Já de volta em Argentina, em 1965 foi contratado pela empresa familiar de tintas gráficas MILUZ, de Buenos Aires, que em pouco tempo se converteu em líder do mercado de tintas automotivas e uma das principais fábricas de tintas imobiliárias. Através dessa empresa novamente teve contatos com Brasil, no desenvolvimento dos esmaltes metálicos para carros. Neste período recolheu grande experiência nas viagens realizadas a plantas situadas na Franca, Alemanha e Estados Unidos, com a finalidade de trazer novas tecnologias para a empresa.

Em 1974, devido a grave situação política na Argentina, teve que abandonar o pais e, entre as várias ofertas de trabalho, elegeu assumir o projeto de uma nova empresa de tintas no interior de São Paulo, a Sumaré Tintas. Fundou e dirigiu tecnicamente esta companhia até o final da década de 90.

Nos anos 70, dando prosseguimento a sua característica de pioneiro, colocou no mercado brasileiro os produtos anticorrosivos de primeiro mundo. Nesta época o Brasil dava os primeiros passos para a utilização deste tipo de materiais na área de tintas e revestimentos, produtos ainda hoje utilizados pela Petrobrás em plataformas e plantas. Sumaré utilizava a tecnologia contratada da Carboline, empresa americana especializada em tintas de alta performance.

Para conhecer e nacionalizar os produtos o Sr. Miguel viajou muitas vezes aos Estados Unidos, tendo estabelecido contato com o proprietário-fundador da companhia americana e pioneiro mundial dos revestimentos de alta performance, o Sr. Stanley Lopata.

No Brasil ate então se usavam fundos a base de zarcão-óleo vegetal e esmaltes sintéticos, para o combate anticorrosivo na manutenção industrial. Foram incorporados os revestimentos de etil silicato de zinco, o primeiro mastic epóxi, poliuretanos alifáticos e fundos e acabamentos epóxi. Sumaré vendia suas novas tintas a Petrobrás e em pouco tempo estes produtos deram origem as normas mais conhecidas. O passo seguinte da evolução foi a criação das tintas de altos sólidos e as tintas a base de água, logrando novamente a liderança tecnológica do mercado brasileiro.

Desse modo a Sumaré Tintas, hoje uma divisão da empresa americana Sherwin Williams, se tornou líder do mercado de tintas anticorrosivas no país na década de 90.

 Seguindo as tendências e as demandas do mercado nacional, no ano 2000 Miguel Annetta iniciou a construção em Ouro Fino (MG) da fábrica Annetta Indústria Química, com o objetivo de colocar no mercado brasileiro produtos de alta tecnologia em tintas, promovendo o surgimento de uma opção para substituir as importações de vários insumos.

A experiência acumulada ao longo dos anos possibilitou que além da alta tecnologia na fabricação de corantes e resinas para a indústria de tintas, Annetta passa a dar consultoria aos fabricantes de tinta do país, possibilitando-lhes melhorar a qualidade dos produtos com preços acessíveis.

Finalmente, depois de observar que o mercado de tintas especiais continuava carente de soluções para as necessidades de mudanças e adequações às novas exigências técnicas e ambientais, decidiu fabricar novamente este tipo de produtos. Para faze-lo teve que aumentar sua capacidade produtiva, construindo um novo galpão para estoque de seus insumos e produtos acabados. 

Desse modo desembocamos na etapa atual em que a empresa oferece soluções aos máximos desafios industriais, é pioneiro de mercado com sua linha de tintas higiênicas, essenciais para o uso em hospitais, industrias alimentícias ou outros locais públicos, e especialista no desenvolvimento de corantes para o mercado imobiliário ou industrial. Tudo isso através de produtos livres de substancias cancerígenas, filosofia marcada e controlada desde a fundação da empresa, gerada num conceito vanguardista acorde aos novos critérios ambientais vigentes no primeiro mundo.  

Assim a empresa continua seguindo os conceitos que predominaram na trajetória de seu fundador: observar os problemas existentes transformando-os em desafios e encontrar as soluções, através da pesquisa das novas tecnologias ou buscando variantes nas tradicionais, respeitando o meio ambiente e a saúde dos usuários.  

Só um homem com a história de vida, a experiência e a sabedoria do Sr. Miguel poderia montar uma empresa nos moldes atuais da Annetta, Tecnologia em Tintas e Revestimentos.

a gente guarda estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação, saiba mais em nossa política de privacidade.

Entendi!